AMAMS discutirá projetos de rodovias e hidrovias com Coordenador do DNIT

unnamed (1)

A Associação dos Municípios da Área Mineira da Sudene – AMAMS, promoverá reunião na sexta-feira, dia 12 de maio, com o coordenador regional do Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT), Wainer Nether, quando serão apresentados projetos a serem desenvolvidos pelo órgão no Norte de Minas.

O DNIT é responsável pelas BR’s 135, 251 e 365, que cortam a região; assim como a Hidrovia do São Francisco e a malha ferroviária. O coordenador regional Wainer Nether pediu ajuda da AMAMS na captação de recursos que viabilizem o Plano Intermodal de Transporte, que propõe envolver os sistemas rodoviário, ferroviário, fluvial e aéreo no Norte de Minas.

No caso específico, da BR 251, o Governo liberou R$ 38 milhões para recuperação do trecho de Montes Claros / Trevo de Grão Mogol, através do contrato de manutenção denominado Crema. A rodovia passará por manutenção nesse trecho. Porém, com um fluxo de 11 mil veículos por dia, a expectativa é que essa obra dure apenas três anos. Por isso, o DNIT elaborou o projeto de ampliação e duplicação da rodovia, sendo necessário R$ 1 bilhão, com repasse de R$ 250 milhões por ano.

O prazo para inserir a obra no PLOAS do Governo Federal termina em 22 de agosto desse ano. Sobre a BR 365, o DNIT concluiu o projeto executivo da rodovia, que estará à disposição dos municípios, para conhecerem as mudanças e investimentos a serem realizados.

No caso da BR 135, existem três pontos a serem apresentados pelo DNIT. O trecho de Itacarambi / Manga, cujas obras foram embargadas em 1987, está com o projeto executivo concluído, mas depende de alocação de recursos para ser retomada a obra. O trecho Manga / Montalvânia entra na fase final, com previsão de encerrar em 30 dias no máximo. Com a conclusão das obras da BR 135, cria-se uma nova rota com o Nordeste brasileiro, aliviando o fluxo de veículos na BR 251.

Por sinal, a BR 135 será repassada ao Estado, através de delegação, no trecho entre Montes Claros até a BR 040 e com isso, transferindo a fiscalização para a Polícia Militar de Minas Gerais.

A Hidrovia do São Francisco deve ser outro assunto abordado, pois há mais de 15 anos que ela está desativada no trecho de Pirapora (MG) a Ibotirama (BA). A coordenadoria regional do DNIT quer propor o desassoreamento do trecho, como forma de viabilizar o Transporte Intermodal de Cargas no Norte de Minas. Por fim, tem a discussão sobre o Transporte Ferroviário. A concessão da malha ferroviária encerra-se este ano e o DNIT quer propor a utilização da estrutura ferroviária para mais uma empresa, como forma de maior aproveitamento. 

Montes Claros, 10 de maio de 2017.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *